domingo, 16 de março de 2014

SIGA O IMPULSO DE DEUS  
O que Annie Dillard diz sobre o trabalho de autores em seu livro “A Vida do Autor” é verdade sobre a vida: “Não segure o que é melhor para um lugar mais adiante no livro, ou para outro livro; dê, dê tudo, dê agora.”
Há o que se admirar na vida. Siga-o. Cace-o. Não escute o choramingar daqueles que se contentaram com uma vida de segunda categoria e querem que você faça o mesmo para que eles não se sintam culpados. Seu alvo não é uma vida longa – é uma vida vivida!
Você não pode ser criticado por aquilo que você não experimenta, não é? Você não pode cair se nunca escalar, não é verdade? Então, tome o caminho mais seguro. Ou… você pode seguir os impulsos de Deus. Ele diz “Aquele que tentar salvar a sua vida a perderá.” O tempo escapa. Os dias passam. Anos minguam. A vida termina. E aquilo que viemos fazer precisa ser feito enquanto há tempo!
(Max Lucado, em “ELE AINDA REMOVE PEDRAS”)

terça-feira, 11 de março de 2014


SE DESNUDE DIANTE DE DEUS 
“E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer” Lc 18:1
Se o povo de Deus não persistir em oração, será que Jesus encontrará fé na terra? O Senhor narra essas histórias para que entendêssemos a importância de persistir em oração. Precisamos aprender a orar com insistência, precisamos agarrar-nos a Deus até receber a resposta. Temos que orar e continuar orando, e abalar os céus até vermos a resposta de nossas petições. Essa persistência não tem como objetivo “acordar” Deus, nem implorar, nem fazer barganhas com Ele, nem convencê-Lo a nos dar o que pedimos. Ele já está convencido e desejoso de abençoar-nos, ajudar-nos e salvar-nos. Isso é do caráter Dele. Ele é que deseja acordar-nos e convencer-nos.
Além de ser persistentes em oração, precisamos também fazer orações incisivas e específicas. Em Marcos 10:46-52, encontramos a história do sego Bartolomeu que gritava enquanto Jesus passava pelas ruas de Jericó. Jesus foi até ele e perguntou: “Que queres que eu faça?”
Jesus gosta quando insistimos e não O largamos de mão, MESMO não recebendo uma resposta imediata, aliás seria melhor dizer – PRINCIPALMENTE quando não recebemos uma resposta imediata. Ele quer que insistamos e continuemos em oração. E quer também que façamos orações específicas. Hoje Ele ainda nos diz:
“O que queres que eu faça?”
Reconheço que nem sempre sabemos definir com precisão todos os detalhes de nossa petição, mas procuremos ser objetivos quanto ao que sentimos e necessitamos, devemos evitar orações vagas, cheias de religiosidade, orações sem “coração”. Devemos colocar todos os nossos sentimentos expostos em nossas orações diante do Senhor. Se estivermos pedindo algo que não entra em Seus planos para nós, Ele mudará nossa oração no decorrer do tempo. Mas, se orarmos em conformidade com Seus propósitos, Ele nos abençoará nos atendendo.
Devemos orar com destemor, certos que Deus responderá da melhor maneira para nós. Vamos abandonar as tradições religiosas e nos livrar de convenções para assim buscarmos a Deus “nus”, em total entrega e confiança. Se nos convencermos que Deus tem TOTAL interesse em TODAS as questões que envolvem nossa vida, oraremos assim. E se orarmos veremos Seu poder, repleto de amor, operar em cada problema, necessidade e aflição que enfrentamos.
(Dean Sherman, em “BATALHA ESPIRITUAL”)

sexta-feira, 7 de março de 2014

ALEGRIA AO SEU ALCANCE 

Existe uma deliciosa alegria que vem de Deus. Uma alegria cujas consequências não podem apagar. Circunstâncias não podem roubar a paz que vem dela.
Ele promete isto nove vezes. E o faz para um publico meio inesperado. Aqueles que choram. Os mansos. Os que têm fome e sede. Os misericordiosos. Os puros de coração. Os pacificadores. Os perseguidos. É para este bando de peregrinos que Deus promote uma bênção especial. Uma alegria celestial.
Mas esta alegria não é barata. O que Jesus promote não é um truque para lhe dar arrepios ou uma attitude mental. Não, Mateus capítulo 5 descreve a reconstrução radical do coração. Não é uma mudança de atitude acidental. É a demolição da antiga estrutura e a criação de uma nova.
Alegria de Deus. E está dentro de seu alcance. Você está a uma decisão de distância dessa alegria.
(Max Lucado, em “O APLAUSO DO CÉU”)

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

BEM ESTAR 
“Ponham-se nas encruzilhadas e olhem; perguntem pelos caminhos
antigos, perguntem pelo bom caminho. Sigam-no e acharão descanso.”

JEREMIAS 6.16
O que mais importa não é o fato que eu conheço a Deus, mas, sim, algo muito maior que está implícito neste conhecimento — ele me conhece. Eu estou gravado nas palmas de suas mãos. Nunca sou esquecido por Ele. Todo o meu conhecimento Dele depende da iniciativa permanente da parte de Deus em me conhecer. Eu O conheço porque Ele me conheceu primeiro e continua a me conhecer.
Ele me conhece como meu melhor amigo, na verdade Ele me conhece muito melhor que este amigo. Não há um único momento em que Ele tira seus olhos de mim ou que se distrai e me esquece; portanto, não há um momento sequer em que Ele deixa de cuidar de mim. Este é um conhecimento extremamente significativo. Há um indizível conforto — o tipo de conforto que nos dá poder, isto é, não nos enfraquece — em conhecer este Deus que está constantemente consciente de mim, cuidando de mim, para o meu bem, e não apenas para o meu conforto.
Há um conforto e bem estar imensos na consciência de que O Deus que criou o universo e a vida, e os mantém, permanece dia e noite ao meu lado. Não como um mordomo pronto a me atender, mas como um pai-parceiro, disposto a me ajudar a ser melhor.
(J. I. Packer, em “O CONHECIMENTO DE DEUS”)

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

COMO PEDIR FÉ SEM FÉ? 

“Peçam com fé e não duvidem de modo nenhum.” (Tg 1.6a)
Tiago acaba de dizer que Deus responderá à oração “porque é generoso e dá com bondade a todos”. Esse “todos” não inclui os crentes sem fé. Daí a exortação: “Tenham também coragem ao pedir e acreditem de verdade, sem pensar duas vezes” (1.6). Nesse caso, aquele que não tem fé deve primeiro suplicar por fé, e não por sabedoria ou qualquer outra coisa. Porém, como pedir fé se a oração sem fé não é válida? Como se pode pedir fé sem fé?
Talvez haja uma fé tão pequena quanto a substância ainda informe que está no útero de uma mulher que acabou de engravidar. É pequena, mas existe. Jesus não disse que a pequena fé, do tamanho de uma semente de mostarda, seria suficiente para transportar montanhas de um lugar para outro (Mt 17.20)? Os discípulos de Jesus não foram humildes e honestos para pedir ao Senhor: “Aumente a nossa fé” (Lc 17.5)? E o pai daquele endemoninhado não disse a Jesus: “Eu tenho fé! Ajuda-me a ter mais fé ainda!” (Mc 9.24)?
E se aquele que ora acha que nem a fé do tamanho de um embrião ele tem, ele pode começar a subir a montanha da fé confessando essa carência. Ele deve sentar-se entre os que creem e, desse modo, ser imperceptivelmente contagiado por eles. Ele deve se aproximar da Palavra de Deus, pois “a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem vem por meio da pregação a respeito de Cristo” (Rm 10.17, AS21). Ele deve levar a sério o que está registrado no livro do profeta Isaías: “Escutem, os que têm sede: venham beber água! Venham, os que não têm dinheiro [ou os que não têm fé]: comprem comida e comam! Venham e comprem leite e vinho, que tudo é de graça” (Is 55.1). Abraão não creu de uma hora para a outra. A fé do chamado “pai da fé” foi crescendo de lance em lance, de degrau em degrau.
Fé pequena não é uma sina!
(Devocional da Revista Ultimato)

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

OS FELIZES
Muitas pessoas são perseguidas, não por causa da justiça, mas por uma outra coisa qualquer.
Cuidado para você não fazer um falso juízo de si mesmo!
Alguns são perseguidos, insultados e mal-tratados por conta da sua personalidade desagradável, intratável e intolerável; outros por serem rudes, carrancudos, insensíveis, mal educados; outros porque são orgulhosos e críticos; outros porque são preguiçosos e irresponsáveis (alguém já disse que incompetência mascarada de piedade irá gerar perseguição!); outros por serem mentirosos e contadores de papo; outros por serem fanáticos religiosos e completamente desprovidos de sabedoria para abordar alguém, testemunhar e falar do Evangelho; outros por não terem o menor caráter; outros por causas que não valem a pena brigar e morrer.
Felizes são os que:
Reconhecem sua pobreza espiritual e mendigam diante de Deus;
Choram pelos seus e pelos pecados do mundo e os confessam diante de Deus;
Vivem mansamente e não revidam na mesma moeda, mas se aquietam, confiantemente, diante de Deus, a espera de sua justiça;
Têm fome e sede de justiça e santidade;
Perdoam e estendem misericordiosamente as mãos para ajudar;
Purificam os seus corações, querendo ver a Deus;
promovem a paz, do homem com Deus, do homem com o seu próximo.
Felizes são os que, por assim serem, e viverem, incomodam o mundo de tal maneira, a ponto de serem perseguidos!
Estes são de fato cidadãos do Reino de Deus!
(Pr Samuel Munguba Jr)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

MUITO ALÉM O ÓBVIO

A realidade, pela minha experiência, além de ser complicada, costuma ser estranha. Ela não é clara, não é óbvia, raramente é do jeito que você esperava.
Por exemplo, quando você entendeu que a Terra e os outros planetas giram em torno do sol, você naturalmente achava que todos os planetas tivessem sido feitos para se emparelhar — todos com a mesma distância uns dos outros, ou pelo menos, a distâncias que proporcionalmente aumentam; que fossem do mesmo tamanho, ou pelo menos que fossem ficando maiores ou menores à medida que se distanciassem do sol. Na verdade, você não encontra explicação ou razão (que nós podemos ver) para os tamanhos nem para as distâncias. Alguns planetas têm uma lua; um tem quatro; outro, duas; alguns nenhuma e outro tem um anel.
A realidade costuma, de fato, ser algo que você jamais teria imaginado. Essa é uma das razões por que eu acredito no cristianismo. Trata-se de uma religião que você nunca teria conseguido inventar.
Pois é, DEUS é imprevisível..
(C. S Lewis, em “CRISTIANISMO PURO E SIMPLES”)

domingo, 16 de fevereiro de 2014

SOMOS LIMITADOS

Compreender que Deus age de forma inesperada é razão para reconhecermos nossos limites. Se insistirmos em pensar que devemos saber tudo ou que somos capazes de fazer qualquer coisa, continuaremos frustrando-nos, pois Deus não opera de acordo com as nossas diretrizes. Na realidade, aceitar as próprias limitações é uma experiência libertadora. É um dos elementos-chave da fé genuína.
Quando você tiver dúvidas sobre o que fazer, confie no Senhor. Quando nada fizer sentido algum, creia. Conhecer nossos limites nos liberta como nenhuma outra coisa o faz. Por que? Porque a fé do Reino submete suas limitações ao ilimitado Deus. Nas mãos Dele, nossas restrições se tornam forças. Paulo declarou que o poder de Deus se aperfeiçoa em nossas fraquezas, por isso falou:
“Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessedades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando estou fraco, então, sou forte.” 2Co 12:10
Conhecer nossas limitações nos faz confiar no poder de Deus e em Sua sabedoria, em vez de confiar em nossa capacidade particular.
Pedro pensou que poderia permanecer firme por Cristo usando sua própria força, mas falhou de forma humilhante quando o temor por sua segurança o levou a negar Jesus três vezes. Contudo, quando Pedro reconheceu suas fraquezas e as submeteu a Deus, ele se tornou um exemplo de fé, proclamando corajosamente o evangelho diante de reis e imperadores.
Confie suas limitações ao Deus ilimitado. Não insista em querer saber tudo. O que tiver de compreender, Ele lhe ensinará. Não fique frustrado por causa das coisas que não pode realizar. Toda vez que precisar fazer algo – o Senhor o capacitará. Deixe Deus ser Deus em sua vida. Permita que o guie quando você estiver pronto.
“SENHOR, o meu coração não se elevou nem os meus olhos se levantaram; não me exercito em grandes matérias, nem em coisas muito elevadas para mim. Certamente que me tenho portado e sossegado como uma criança desmamada de sua mãe; a minha alma está como uma criança desmamada.” Sl 131:1-2
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)

sábado, 15 de fevereiro de 2014

AMOR E BONDADE

HÁ bondada no amor; mas amor e bondade não são sinônimos; e quando a bondade é separada dos demais elementos do amor, ela envolve uma certa indiferença em relação ao objeto da sua benevolência, ou até mesmo certo conformismo em relação a ele.
A bondade se dispõe de forma bastante rápida à remoção do seu objeto – todos nós já encontramos pessoas cuja bondade em relação aos animais as leva a matá-los para evitar que sofram. A bondade pura e simples não se importa se o seu objeto vem a ser bom ou mau, contanto que ele escape do sofrimento.
De acordo com as Escrituras são os bastardos que são mimados; os filhos legítimos, que têm a incumbência de levar adiante a tradição da família, acabam sendo disciplinados (Hb 12.8). É para as pessoas com as quais não nos importamos nem um pouco que pedimos felicidade incondicional. Quando se trata dos nossos amigos, cônjuges, e filhos, somos exigentes e preferimos muito mais vê-los sofrendo do que vivendo em uma felicidade conformada e alienante.
E parece, a julgar pelos registros, que apesar de Deus ter nos repreendido tantas vezes, Ele jamais se referiu a nós com desprezo. Ele nos recompensou pela extravagante benevolência do seu amor por nós, no sentido mais profundo, mais trágico, mais inexorável.
(C. S. Lewis, em “O PROBLEMA DO SOFRIMENTO”)

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

DEUS LIDA COM IMPOSSIBILIDADES
Deus lida com impossibilidades. Nunca é tarde para Ele operar, quando um impossível Lhe é trazido em inteira certeza de fé, por alguém em cuja vida e circunstâncias precisa realizar-se o impossível para que Deus seja glorificado.
Tem sido dito muitas vezes, e com verdade, que o cristianismo é a única religião que pode resolver a questão do passado do homem. Deus pode “restituir… os anos que o gafanhoto comeu” (Jl 2.25); e Ele o fará quando pusermos toda a situação, e a nós mesmos, confiantes e sem reservas, na Sua mão. E isto, não por causa do que nós somos, mas do que Ele é. Deus perdoa, e sara, e restaura. Ele é “o Deus de toda a graça”. Louvemos o Seu nome, e confiemos Nele.
Nós temos um Deus que se deleita nos impossíveis. Nada é difícil
demais para Ele. Nós temos um Deus que reina absoluto e resoluto sobre tudo e para Ele tudo, simplesmente tudo, lhe é possível, tratável, modificável, curável e realizável.
“Crê tu nisso?” Creia e verás maravilhas!
(Andrew Murray, em “A VIDA INTERIOR”)

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

A FORÇA DA FÉ
Durante a Segunda Guerra Mundial, alguns pobres e perseguidos políticos se refugiaram em um porão escuro e frio da Alemanha. Quando as tropas dos exércitos aliados libertaram a Europa do jugo nazista, achou-se inscrito numa das paredes daquele triste refúgio:
Creio no sol, mesmo que não brilhe.
Creio em Deus, mesmo que permaneça em silêncio.
Creio no amor, mesmo que se oculte.
As energias que brotam no coração, fascinam. Conhecemos a força de vontade e o poder do pensamento positivo. Sabemos também que as palavras possuem vida própria. A mais poderosa de todas as nossas energias, porém, vem da fé. Ela é dom. Com fé, o espírito triunfa sobre a matéria. A fé invoca o eterno sobre o temporal. Nela, a vida vibra. Fé revela que pontos de interrogação têm valor. Fé zomba da certeza – toda certeza encurta os horizontes e somente a dúvida alonga os anseios do coração para além do horizonte. Fé diz não ao grito do desespero. Fé se faz cega ao escárnio da impossibilidade.
Com fé, cremos na força subjetiva do caráter. Quando se manifesta, agimos semelhantes ao homem que num incêndio se joga no vazio, sem ter absolutamente nada senão a voz do bombeiro que orienta o salto. Todo o cristão é um cego, obstinado a dizer sim, quando todos os indícios evidenciam um não.
Fé faz com que as pessoas se comportem como a mãe quando entregou o filho nas mãos do cirurgião. A única garantia que esta mãe possuía era o médico ser uma extensão do seu amor. Pela fé, ela nada tem senão amor como guia. Fé é sempre uma aposta: Deus não desistirá de nós em tempo algum. A única certeza da fé descansa na fragilidade de um querer bem gratuito e unilateral.
Jesus falou a um homem ansioso e decepcionado com a vida: Se creres verás a glória de Deus. Semelhante a ele eu creio. Faltam-me evidências, por isso creio. Minha fé mora além da razão. Por uma tênue intuição, percebo: a glória que o nazareno prometeu pode ser traduzida como esperança, paz ou descanso.
(Soli Deo Gloria-Pr Ricardo Gondim )

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

ENXERGUE-SE COMO REALMENTE É

O enigma sombrio da vida é iluminado em Jesus; o significado, o propósito e o alvo de tudo o que nos sucede, e como fazer que tudo valha a pena só podem ser aprendidos com o Caminho, a Verdade e a Vida. Nada que exista pode existir fora dos limites de sua presença; nela nada é irrelevante, tudo adquire importância.
A tristeza de Deus reside em nosso medo Dele, da vida e de nós mesmos. Como o pai que acolhe os filhos nos braços ao fim de um dia longo e cansativo, assim Deus anseia envolver-nos em seu abraço. Qualquer que tenha sido seu passado ou presente, venha; recline-se no abrigo do amor que Ele oferece e escute o pulsar do coração do Mestre. Permita que Ele lhe ensine sobre a vida, e sobre a eternidade como filho querido de Aba. Sem titubear, enxergue-se como realmente é. Então observe quem você está destinado a ser à medida que transita pela terra como filho de Deus nesta jornada chamada “vida”.
“Não tente segurar a mão de Deus; deixe que Ele segure a sua. Deixe que Ele cuide do `segurar’ enquanto você se concentra no `confiar’.”
(H. William Webb-Peploe)

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014


 PURA SINTONIA 
Preciso ouvir a voz de Deus todos os dias, e quero ouvir a Sua voz a respeito de TUDO. Para ouvir a Deus, precisamos estar dispostos a esperar pela sabedoria, movidos por uma paixão de querer a vontade Dele mais que qualquer outra coisa.
Ouviremos Deus muito mais claramente se estivermos determinados a não nos mover no calor das nossas emoções e desejos. Seremos abençoados se esperarmos e nos certificarmos de que ouvimos a Deus antes de dar qualquer passo. Só então devemos fazer o que Deus nos instruindo a fazer, mesmo que nos doa, mesmo que nos custe algo.
Aprenda a esperar. As emoções que sobem e nos enchem de energia cairão, e a energia emocional não nos levará para onde realmente precisamos ir. Precisamos da energia de Deus, que é a determinação do Espírito Santo para avançarmos e fazermos o que Deus disse.
Deus tem uma vontade e um plano para todas as pessoas. Cada pessoa precisa descobrir o que Deus quer que ela faça, e depois esperar o tempo Dele para fazê-lo.
“Como é feliz o homem que me ouve, vigiando diariamente à minha porta, esperando junto às portas da minha casa. Pois todo aquele que me encontra, encontra a vida e recebe o favor do Senhor. Mas aquele que de Mim se afasta, a si mesmo agride.” Pv 8:34-36.
Podemos perder o melhor de Deus por estarmos com pressa de conseguirmos o que queremos. Se não esperarmos, principalmente nas áreas mais importantes, traremos problemas às nossas vidas. PACIÊNCIA é estar cada vez mais sintonizado com Deus em todo o tempo.
(Joyce Meyer, em “COMO OUVIR A VOZ DE DEUS” )

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

FÉ INFANTIL E FÉ PUERIL 

O salmo 131, um dos mais curtos, mostra a diferença entre a confiança pueril e a confiança infantil em Deus:
Senhor, o meu coração não é orgulhoso e os meus olhos não são arrogantes. Não me envolvo com coisas grandiosas nem maravilhosas demais para mim.
De fato, acalmei e tranqüilizei a minha alma. Sou como uma criança recém-amamentada por sua mãe; a minha alma é como essa criança.
Ponha a sua esperança no Senhor, ó Israel, desde agora e para sempre!
O cristão deve ser não como uma criança que chora desesperada para mamar, mas como uma criança recém-amamentada que dorme ao lado da mãe, feliz por estar com ela. E, exatamente como a criança aos poucos perde o hábito de considerar a mãe a única fonte de satisfação de seus desejos e aprende a amá-la por si mesma, o cristão, depois de lutar, chega ao estado de espírito no qual anseia por Deus em Si mesmo, e não como meio de satisfação de seus desejos. O centro gravitacional da sua vida mudou.
Dependência doentia versus confiança pueril. Com frequência sinto que estou andando em uma corda bamba entre fé infantil e a fé pueril. A diferença, contudo, é crucial: um tipo de fé me mantém em infância perpétua, enquanto a outra conduz a um relacionamento adulto com Deus.
Philip Yancey, em “O DEUS (IN)VISÍVEL”

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

AS TATUAGENS DE DEUS

“Para onde poderia eu escapar do Teu Espírito? Para onde poderia fugir da Tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura também lá estás. Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar, mesmo ali a Tua mão direita me guiará e me susterá.” (Salmos 139: 7-10)
Às vezes tentamos arduamente entrar na presença de Deus, mas a verdade é que é impossível se esconder Dele. Ele está constantemente nos buscando. Talvez você sinta que o Senhor não está perto de você, mas é por isso que é tão importante conhecer a Palavra. O profeta Isaías fez uma reclamação perante o Senhor, contando-lhe o que o Seu povo dizia: “Mas Sião diz: O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim”. E o Senhor responde ao povo: “Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos te gravei; os teus muros estão continuamente perante mim” (Isaías 49: 14-16).
Os pais não foram os primeiros a terem a ideia de carregar sempre fotos de seus filhos – Deus carrega uma foto de Seus filhos por toda a parte. Da próxima vez que questionar seu valor como pessoa, lembre-se que Deus tem uma foto sua tatuada nas palmas de Suas mãos.
(Joyce Meyer, em “PAZ”)

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

OTIMISMO, FÉ E BOM ÂNIMO

Quando a tragédia faz sua aparição não-desejada, e ficamos surdos para tudo, a não ser para o grunhido de nossa própria agonia, quando a coragem sai pela janela e o mundo parece hostil e ameaçador, é hora de nosso próprio Getsêmani. Nenhuma palavra, por mais sincera que seja, oferece conforto nem consolação. A noite é má. Nossa mente está entorpecida, npsso coração vazio, nossos nervos esfacelados. Como sobreviveremos à noite? O Deus de nossa viagem solitária não dá uma palavra.
Ainda assim, nessas que são as mais desesperadoras provações de nossa existência humana, pode acontecer de sentirmos, ultrapassando toda explicação lógica, uma mão com marcas de pregos segurando a nossa. Conseguimos salvaguardar aquele pequeno fragmento de Deus dentro de nós e não dar lugar ao desespero. Isso é fé, essa é a confiança que nosso Senhor espera de nós.
Sobrevivemos à noite, e a escuridão abre caminho para a luz da manhã. A tragédia altera radicalmente a direção de nossa vida, mas, em nossa vulnerabilidade e incapacidade de nos defender, experimentamos o poder de Jesus.
A esperança sabe que, se forem evitadas as grandes provações, grandes feitos permanecem por fazer e aborta-se a possibilidade de a alma ser grande. O pessimismo e a derrota não são frutos do Espírito Santo em nós. O otimismo, a fé e o bom ânimo, sim.
(Brennan Manning, em “O OBSTINADO AMOR DE DEUS”)

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

SACERDOTES REAIS

“A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.” (2Co 12:9). E concluiu: “De boa vontade antes me gloriarei nas minhas fraquezas, a fim de que repouse sobre mim o poder de Cristo… Porque quando estou fraco, então é que sou forte.” (2Co 12:9b, 10b)
Esse é mais um paradoxo da vida com Deus. Não precisamos temer as nossas próprias fraquezas, pois é então que o poder do Deus infinito se revela em Sua plenitude.
No Antigo Testamento, o povo de Deus não tinha acesso à Sua presença, a não ser por intermédio dos sacerdotes. Um dos costumes daquela época era o de as pessoas rasgarem as suas vestes em sinal de desespero quando alguma grande tragédia as atingia. Mas ao sacerdote era vedado fazer isso. Sabe por quê? Como ele tinha acesso direto à presença de Deus, rasgar as suas vestes significaria que a situação que ocasionava esse ato estava além do poder de Deus. E isso constituía uma blasfêmia , pois para Deus não há impossíveis.
Jesus, através da Sua morte, nos deu acesso direto à presença de Deus, fazendo-nos sacerdoes reais (1Pe 2:9). Assim, jamais podemos nos entregar ao desespero, por mais tristes e difíceis que sejam as nossas circunstâncias. O Deus de cujo trono de graça podemos nos aproximar confiantemente quendo precisarmos de socorro para ocasião oportuna (Hb 4:16), tem poder para operar em TODAS as circunstâncias. Atente para isso: O nosso Deus, o único, é o Deus dos impossíveis.
“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com olhos se viu Deus além de Ti, que trabalha apara aquele que nele espera.” Is 64:4
(Wanda Assumpção, em “…E DEUS FEZ A MULHER”)

domingo, 15 de dezembro de 2013

DESAFIOS EXTREMOS

“Acima das nossas forças.” (2 Co 1.8.)
“Para que sobre mim repouse o poder de Cristo.” (2 Co 12.9.)
Deus permitiu que a crise se apertasse em torno de Jacó, naquela noite em que ele se inclinou em súplicas em Peniel, a fim de levá-lo a apoderar-se de Deus, pois sem a crise ele não teria chegado a esse ponto. E por causa daquele lugar estreito de perigo, Jacó teve a sua fé alargada e cresceu no conhecimento de Deus, como também no poder de uma vida nova e vitoriosa.
Deus teve de fazer Davi passar por uma disciplina longa e penosa, para que ele viesse a conhecer a onipotência e a fidelidade do seu Deus e para que se gravassem aqueles princípios de fé e piedade que eram indispensáveis à sua gloriosa carreira como rei de Israel.
Paulo só pôde conhecer todo o significado da promessa “A minha graça te basta”, através das situações extremas em que foi colocado. E assim ele aprendeu a fazer uso dela, e através dele a igreja o tem aprendido.
Só as provações e os perigos que atravessamos é que poderiam ter levado alguns de nós a conhecê-lO como O conhecemos, a confiar Nele como confiamos. As nossas situações desesperadoras é que nos obrigaram a tomar Dele toda a graça de que precisávamos.
Não nos enganemos, só crescemos na fé e na maturidade pessoal quando somos desafiados ao extremo. Fora das provações permaneceríamos crianças mimadas e birrentas querendo tudo a tempo e a hora, da nossa forma, do nosso jeito. Já imaginou as consequências disso?
As dificuldades e obstáculos são os desafios que Deus lança à nossa fé. Quando encontramos obstáculos no caminho, precisamos considerá-los como vasilhas que a fé tem diante de si para encher da plenitude e suficiência de Jesus; e à medida que avançamos, confiando simples e inteiramente NELE, e SOMENTE NELE, podemos ser provados na certeza que não desfaleceremos.
Podemos ter de esperar e deixar que a paciência tenha a sua obra completa, mas no fim acharemos a pedra removida do sepulcro e o Senhor esperando para nos recompensar em dobro pelo nosso tempo de prova.
(Lettie B. Cowman, em “MANANCIAIS NO DESERTO”)

sábado, 14 de dezembro de 2013

CONFISSÃO DE FÉ

“Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.” Jo 8:12
Eu não acredito no “meu” poder.
Não acredito na “força do universo”
Não acredito na “vida”.
Não acredito em sorte.
Não tenho amuletos.
Não acredito na “força da atração”, nem em pensamento positivo.
Acredito com todas as minhas forças, com toda minha inteligência, com todo meu coração no poder do DEUS que se fez homem em Jesus Cristo.
Por isso, também não acredito no deus que muitos relacionam a uma “força cósmica” que se materializa na natureza. Besteira pura! A natureza, bela como ela só, não é criadora, é criação, obra do DEUS que a teceu milimetricamente.
Não sigo um deus vingativo, egocêntrico e sádico. Sou amiga íntima do DEUS que me ama graciosamente apesar dos meus incontáveis defeitos, que decidiu residir dentro de mim através do SEU Santo Espírito e, dia a dia, dependendo da minha entrega, do meu comprometimento com ELE, me lapida, me melhora, me conduz.
Não acredito em catecismos, nem me prendo a rituais. Creio, incondicionalmente, no poder do DEUS que me escuta e me responde, isso é oração. Creio no DEUS para o qual impossíveis não existem, o DEUS que faz o impensável dentro da nossa lógica miúda e de nossas expectativas estreitas.
Creio no DEUS pessoal, que tem face e nome – JESUS CRISTO. O ÚNICO que merece meus joelhos curvados, meu coração contrito, minhas confissões e arrependimentos. O ÚNICO merecedor da minha confiança e fé.
Creio que SEU perdão me foi dado por meio do SEU sacrifício naquela cruz, se assim não fosse, por que aquela crucificação? Por que tanta dor e sofrimento naquele calvário se não fosse para me salvar, me libertar e me justificar? Não tenho mais o que pagar, ELE pagou em meu lugar.
Creio no DEUS que está ao meu alcance, de ouvidos atentos a minha pessoa 24h por dia, todos os dias, tanto no pico de uma montanha, quanto no meio de um engarrafamento. O DEUS que atende minhas necessiades porque é um DEUS que age, que se move a meu favor; o DEUS que também me diz “não!” ou “espere!’ porque sabe, melhor do que eu, o que é melhor para mim.
Creio, sim, e como creio! Creio que JESUS pode o que eu não posso, que ELE sabe todos os motivos, e eu não preciso entender de tudo. O que preciso é crer e confiar no que, de fato, creio e confio – que ELE é bom, justo, misericordioso, amoroso, superpoderoso. Sem ELE nada sou, mas ELE é tudo, NELE me encontro, NELE me farto e me lambuzo de liberdade e paz.
Isso é o que basta!
A JESUS, SOMENTE A ELE, TODA GLÓRIA!
(Neuma Fernandes)

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

ALÉM DO NEVOEIRO“Prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.” Filipenses 3.14
Em 1952, Florence chadwick tentou nadar nas frias águas do oceano entre a ilha catalina e a costa da Califórnia. ela nadou em meio a um nevoeiro e mar revolto por quinze horas. Seus músculos começaram a
lhar devido a câimbras e sua determinação se enfraqueceu. Ela implorou para ser tirada da água, mas sua mãe, que estava num bote ao lado dela, insistia para que ela não desistisse. Ela continuou tentando, mas ficou exausta e parou de nadar. Ajudantes a tiraram da água e a colocaram no bote. remaram por poucos minutos, o nevoeiro se dissipou e ela descobriu que a costa estava a pouco mais de oitocentos metros de distância. “Tudo o que eu podia ver era o nevoeiro”, explicou ela na coletiva de imprensa. “Creio que se tivesse visto a costa, poderia ter conseguido”.
Dê uma boa olhada na costa que espera por você. Não seja enganado pelo nevoeiro do fracasso. a linha de chegada pode estar a apenas algumas braçadas de distância. Fique firme! Acredite que existe muito mais na vida do que aquilo que pode ser visto com os olhos.
(Max Lucado, em “BOM DIA!”)

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

É TEMPO DE SONHAR
A esperança cristã não significa deixar de ver a realidade. Antes, as dificuldades são a forja da esperança. Na verdade, a esperança bíblica é realista e olha as dificuldades com honestidade. Ela se fundamenta nas promessas de Deus, mesmo que contradigam a experiência do presente. Esperar, na Bíblia, é esperar contra a esperança (Romanos 4.18). É por isto que vivemos uma tensão até o cumprimento da promessa (Romanos 8.18-25). Nesse tempo, caminhamos pela fé, não pela vista (2Coríntios 5.7).
É tempo de sonhar. Sonhar e aguardar de Deus coisas boas é típico do cristão. A mudança verdadeira é possível, boas supresas são possíveis, acontecimentos alegres são possíveis…..Se sua fé está ancorada em Jesus, acredite no melhor, espere o melhor! Nosso futuro como crentes não tem que se desenvolver a partir do que é presentemente possível, mas daquilo que é possível para Deus. A esperança cristã é essencialmente criativa, pois espera novas coisas, boas coisas. Afinal, é Deus quem dá vida aos mortos e traz à existência coisas que ainda não existem (Romanos 14.17). A esperança é otimista no melhor sentido, pois nos abre para realidades e experiências autenticamente novas, libertando-nos do desespero e do pessimismo.
Mantenha viva a sua esperança.
“Que o Deus da esperança encha você de toda alegria e paz, por sua confiança nele, para que você transborde de esperança, pelo poder do Espírito Santo” (Romanos 15.13)
(PORTAL PRAZER NA PALAVRA)

sábado, 7 de dezembro de 2013

ALEGRIA FORA DE HORA
“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.” (Tiago 1.2-4)
Tiago, irmão de Jesus, escreveu uma carta aos cristãos que estavam sofrendo perseguição. Eles haviam sido expulsos de Jerusalém e deixado para trás seus bens, familiares e amigos. Estavam começando vida nova em outro lugar, e precisavam construir novos relacionamentos, redefinir sua carreira profissional e ainda por cima se defender dos ataques daqueles que se opunham à sua fé em Jesus Cristo.
Um dos conselhos de Tiago para aqueles cristãos em situação tão adversa foi que deveriam receber com alegria as tribulações e provações que a vida colocava diante deles. Tiago justificou seu conselho apresentando três conseqüências das tribulações.
As tribulações provam a nossa fé, isto é, revelam a qualidade dos alicerces onde construímos nossas vidas. Outra maneira de dizer isso é que as tribulações nos mostram quem de fato somos. Muitas pessoas vivem iludidas em relação a si mesmas, e por esta razão constroem suas vidas em alicerces falsos – e vice-versa. Cedo ou tarde estes alicerces são desmascarados e tudo o que está sobre eles pode ruir, como por exemplo: auto-estima, esperança, prazer de viver, relacionamentos, sonhos de futuro, carreira profissional. As situações da vida que confrontam nossos alicerces existenciais são de fato oportunidades extraordinárias para nos reinventarmos, tanto substituindo o que identificamos como inadequado, quanto no desenvolvimento do que identificamos frágil.
As tribulações produzem perseverança, isto é, nos fortalecem para enfrentar a vida. O ditado popular diz que “Deus dá o frio conforme o cobertor”. Acredito nisso. Acredito que o exercício de viver nos coloca diante de desafios proporcionais à maturidade. Uma é a dificuldade da criança, outra, do adolescente, e outra, dos adultos que já não acreditam em Papai Noel e já deixaram a prepotência juvenil de lado. As dificuldades que enfrentamos no caminho nos ajudam a encarar a vida e continuar andando rumo ao futuro desejado. À medida que vamos encarando e superando as tribulações, vamos perdendo o medo de cara feia, até que a vida mostra sua face mais terrível e se surpreende com nossa capacidade de superá-la.
Finalmente, as tribulações nos fazem pessoas maduras e íntegras, sem falta de nada. Atravessar tempos difíceis exige de nós a descoberta e o desenvolvimento de recursos interiores. As tribulações nos tiram todos os pontos externos de apoio: nos sentimos solitários, incompreendidos e injustiçados; perdemos posição, status e privilégios, além de dinheiro e conforto; e descobrimos que as bases onde escorávamos nossa identidade e as fontes de onde tirávamos forças para viver eram falsas ou insuficientes. Nesse momento, olhamos para dentro e para o alto. E descobrimos uma fé mais amadurecida, que nos aproxima mais de Deus, e recebemos a coragem de continuar vivendo.
Estranhamente, vamos percebendo que precisávamos de bem menos do que imaginávamos para a nossa felicidade, até que surpresos, nos deparamos com a sensação de que muito embora o mundo lá fora esteja em convulsão, o mundo de dentro do coração, está em paz e serenidade. Quando chegamos nesse ponto de integridade (integralidade) é que passamos a desfrutar dos poucos recursos, dos amigos raros e das pequenas alegrias do dia-a-dia como suficientes para a felicidade. Aí sim, somos homens e mulheres de verdade. Construídos na forja das tribulações. Livres das ilusões. Prontos para viver, dar e construir.
(Pr
Ed René Kivitz)

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

ORAÇÃO SIMPLES E CHEIA DE FÉ
“E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos.” Mateus 6:7
Temos que aprender a confiar na oração simples e cheia de fé. Precisamos confiar que mesmo se dissermos apenas, “Deus, me ajude,” Ele ouve e vai responder nossa oração. Podemos contar que Deus será fiel em fazer o que lhe pedimos, desde que nosso pedido esteja de acordo com a Sua vontade. Muitas vezes ficamos presos nas nossas muitas palavras quando vamos orar.
Às vezes perdemos de vista o fato de que a oração é simplesmente uma conversa com Deus. A duração, o volume e a eloquência de nossa oração não é a questão; é a sinceridade do nosso coração e a confiança que temos de que Deus ouve e nos responde que é importante. Às vezes tentamos soar tão devotos e elegantes que nos perdemos. Se conseguíssemos nos livrar de tentar impressionar a Deus, estaríamos muito melhor.
A Primeira Epístola aos Tessalonicenses 5:17 diz: “Orem continuamente”, ou como diz a versão Almeida Atualizada: “Orai sem cessar”. Se não entendemos que a oração deve ser simples e cheia de fé, essa instrução pode nos parecer um fardo muito pesado de se carregar. Talvez sintamos que estamos nos saindo muito bem se orarmos por trinta minutos por dia, então, como poderíamos orar sem parar? Precisamos ter tanta confiança na nossa vida de oração a ponto da oração ser como respirar, algo que fazemos sem esforço, a cada momento que estamos vivos.
Não nos esforçamos e batalhamos para respirar, a não ser que tenhamos um problema nos pulmões, e tampouco deveríamos batalhar e ter dificuldade em orar. Acredito que não teríamos nenhum problema nessa área se realmente entendêssemos o poder de uma oração simples e cheia de fé. Deveríamos nos lembrar de que a oração é poderosa quando é sincera e sustentada pela fé.
(Joyce Meyer, em “O PODER DA ORAÇÃO SIMPLES”)

sábado, 30 de novembro de 2013

A ORIGEM DO PODER EM NÓS
Assim que ficou adulto, Sansão foi desobedecendo seu voto de nazireu, de dedicação completa a Jeová, mas continuou acreditando que o segredo da sua força estava no seu cabelo. Disse ele a Dalila: “… Se cortarem o meu cabelo, perderei a força e ficarei tão fraco como qualquer outro homem” (Juízes 16:17).
Se a credulidade de Sansão fosse certa, todos os israelitas nazireus, de cabelo comprido, teriam força descomunal. Quando queremos aceitar uma superstição, não há argumento lógico capaz de nos impedir. Afinal de contas, não cortar o cabelo é muito mais fácil do que viver em obediência e comunhão com o Senhor…
Ainda que mal comparando, todos os cristãos são nazireus, porque somente pode ser cristão aquele que “morre para o mundo” e passa a “viver para Deus”. Existem, porém, entre nós uma variedade de superstições e crendices. Uma delas se chama “pagar o dízimo” – a superstição relativa do dízimo afirma que o dizimista fiel nunca ficará desempregado ou sem dinheiro. Uma outra superstição é conhecida como “oração forte”: ela teria tanto poder que, ao ouvi-la, o Senhor fica obrigado a responder.
O poder do cristão não reside na pessoa dele ou em qualquer outro tipo de coisa que ele tenha ou que faça: “não pela força ou pela violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor”. Viver pela fé, então, é viver pelo espírito. A origem do poder em nós não está em nós, mas no Cristo que habita em nós.
(DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO)

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

FIO DA MEADA
“O Senhor é a minha força e o meu escudo;
Nele o meu coração confia, e Dele recebo ajuda.
Meu coração exulta de alegria,
e com o meu cântico lhe darei graças.”
Salmos 28:7
Fico deslumbrada com a criatividade de DEUS. Quanto mais vivo, mais encantada me sinto com as “saídas” que ELE nos presenteia. Com as estratégias que usa para nos ensinar sobre SEU amor, e fortalecer nossa confiança NELE.
DEUS está sempre nos mostrando SUA capacidade de se envolver com nossa vida e SUA comoção com nossas dificuldades. SEU zelo por nós é tão evidente! O que mais me encanta é que SUAS respostas são quase sempre imprevisíveis. SUA originalidade é espantosa, adoro isso em DEUS!
Dia desse fui pega de surpresa mais uma vez por essa capacidade divina, foi em um evento comum, mas o fato me fez aprender mais da misericórdia do SENHOR.
Estávamos, eu e minha irmã, presas num engarrafamento monstruoso, um verdadeiro nó cego no trânsito, não víamos saída daquilo, parecia que passaríamos o resto do dia presas naquele emaranhado absurdo de carros, caminhões, ônibus e motos. Então, fiz uma oração rápida e silenciosa, só ELE ouviu. Disse simplesmente -”SENHOR, nos tira dessa situação!”; Não foi uma oração automática, foi “consciente”, foi uma escolha, preferi orar a maldizer aquele momento. Em vez de reclamar, optei orar.
Foi um momento de superação, pois odeio, com todas as minhas forças, engarrafamentos e filas. Normalmente fico irritada e não paro de reclamar do caos da cidade, da inconveniência de morar numa metrópole, da incompetência das autoridades diante dos problemas urbanos, etc…etc…etc. Mas, naquela hora, pensei – não vou reclamar, vou orar, é a minha melhor opção. E foi mesmo! Não somente porque DEUS nos tirou do engarrafamento, me fazendo experimentar mais uma vez SUA dedicação fiel, mas, principalmente, por ter sido confrontada outra vez com essa lição – orar é sempre a melhor opção.
Não sei se ELE teria nos arrancado daquele “novelo sem fio da meada” se não tivesse orado, talvez sim…talvez não. Mas, o importante foi aprender que não vale a pena perder tempo com futilidades – reclamar, maldizer, espernear….Nada disso resolve coisa alguma, só nos adoece. A saída é correr imediatamente para QUEM constrói as saídas.
JESUS usou aquela situação tão banal para me mostrar novamente que ELE pode tudo, porém SUA solução pode vir de diversas formas, seja qual for, é a melhor para nós naquele momento específico. O importante é chama-LO, essa deve ser nossa primeira atitude no meio dos engarrafamentos da vida, entregar a situação a ELE, em lugar de nos afobarmos.
SUA resposta naquele dia trouxe-me outro aprendizado, pude usá-la como uma bela metáfora. ELE não destravou o tráfego para que saíssemos de lá, ELE nos mostrou um caminho paralelo no qual entramos depois de descermos um barranco com certa dificuldade, percorremos uma via bastante empoeirada, entramos em ruas enlameadas, seguimos por um labirinto de becos e ruelas nada amistosas, perdemos o referencial de onde estávamos até que encontramos a avenida que, finalmente, nos levaria para casa. Demorou, mas chegamos ao nosso destino.
Não é exatamente assim que ocorre? Muitas vezes mergulhados em um problema, oramos, DEUS age e nos tira da situação, mas, para nosso espanto, nos vemos em uma outra situação conflituosa, problemática, ficamos desorientados, mas se continuarmos confiando na SUA ajuda, ELE traz a solução.
O segredo é sempre confiar na ajuda de JESUS, sempre deixá-LO no comando, e não resmungar quando as coisas ficam complicadas… e mais complicadas. Quando a confusão é grande, o certo é orar, ficar atentos às SUA condução, obedecer SUAS orientações e relaxar na certeza que sairemos dos “engarrafamentos” e chegaremos em casa, em paz.
(Neuma Fernandes)

domingo, 17 de novembro de 2013

MOVENDO MONTANHAS

“Porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele” Marcos 11:23
Muitos se recusam a confiar nesta ousada promessa de Jesus. Alguns dizem que Deus já não responde a orações nesta maneira, mas o texto não indica que essas promessas fossem limitadas à época em que a frase foi afirmada. Outros dizem que isto aconteceria se tivéssemos bastante fé, mas que dificilmente alguém conseguiria conjurar tanta fé. Este ponto de vista contradiz o texto: primeiro, Jesus ressaltou, em Mateus 17, que uma pequena quantidade de fé (do tamanho de um grão de mostarda) poderia conseguir; e segundo, esta perspectiva tira a ênfase do poder do Senhor para responder, e a focaliza no poder de crer da própria pessoa. Se não vemos esta promessa como atingível, perdemos o importante auxílio do Senhor.
Jesus não está se referindo a montanhas literais, mas a obstáculos maiores e mais poderosos. As montanhas são usadas simbolicamente na Bíblia para descrever forças poderosas (Isaías 2:2), tarefas enormes (Zacarias 4:7), e barreiras impenetráveis (Isaías 41:14-16; Zacarias 14:4). O texto clássico sobre a remoção da montanha se refere à obra de João Batista, reestruturando radicalmente as vidas das pessoas para preparar para a vinda de Cristo: “Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados” (Isaías 40:4). As mudanças na paisagem, que João efetuou por sua pregação, foram muito mais fundamentais do que um equipamento para mover terra poderia cumprir.
Deus remove montanhas quando seu povo pede com fé. Ele pode remover as barreiras que inibem nosso crescimento espiritual e que retardam a expansão de sua palavra. Jamais nos sintamos limitados pelo que nossa débil força própria pode fazer; pois é Ele quem pode mover as montanhas que estão impedindo seu milagre se concretizar.
(Gary Fisher, em “O CRISTO TRIUNFANTE”)

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

UM PASSO A MAIS

O que me dá esperança é que JESUS operava com qualquer vestígio de fé que uma pessoa pudesse juntar. Afinal, ELE respeitava a fé de qualquer um que pedisse, desde o centurião ousado e o incrédulo Tomé até o pai desesperado que clamou: “Creio, ajuda-me a minha incredulidade!”
Observando o amplo espectro de fé apresentado na Bíblia, imagino se as pessoas se encaixam naturalmente nos diversos tipos de fé da mesma forma que se encaixam em tipos de personalidade. E, assim como costumo pesar minhas decisões, considerando todas as possibilidades, também experimento a maldição da síndrome do “mas” sempre que leio uma promessa gloriosa na Bíblia. Costumava me sentir culpado por causa da minha falta de fé e ainda anseio por mais, mas, a cada dia sinto menos culpa pela fé tímida que tenho. Nem todo mundo é melancólico, extrovertido ou acanhado; por que achar que teríamos o mesmo tipo de fé?
Aquele pai disse: “SENHOR, eu creio. Ajuda a minha incredulidade.” É a oração mais natural, humana e aflita do Evangelho, e creio ser a base da oração de fé. A dúvida sempre anda com a fé, afinal, na certeza, quem precisa de fé? Descobri que o oposto da fé não é a dúvida, mas, o medo. Sem um elemento de risco, não há fé. Ter fé é Pôr-se à caminho sem visão clara do próximo passo. É prosseguir, confiar, agarrar-se à mão de um guia invisível. A fé é um passo que sempre está além do alcance da luz.
(Philip Yancey, em “DECEPCIONADO COM DEUS”)

sábado, 9 de novembro de 2013

PULE!
As coisas que o Senhor deseja realizar em sua vida não podem ser feitas sem fégumas vezes. Você precisa acreditar somente Nele, independente de qualquer coisa. Ele testará sua fé para te fortalecer. Algumas vezes o Senhor te levará à beira do penhasco e dirá: Pule! Você fará conforme Ele manda, confiando apenas em Sua palavra para seguir em frente e entregando as consequências em Suas Mãos? Ou dará meia volta e pedirá: “Mostre-me primeiro um sinal, Senhor!”?
Deus quer saber se você confia Nele o suficiente para pular. Além disso, quer que você saiba que crê o bastante para saltar. A fé é boa para nós, ela nos dá a direção certa na vida, ela nos coloca em intimidade com Aquele Único que pode saciar nossa alma e fartar nosso coração. Talvez Ele o deixe cair em queda livre em direção ao chão antes de segurá-lo, mas Ele irá segurá-lo. E depois dirá: “Bom para você! Eu sabia que conseguiria!”
A fé é a moeda do Reino de Deus. Use-a generosamente, e as portas serão abertas para você. Creia em Jesus, apenas Nele, deposite TODA sua fé unicamente NELE, e tudo te será possível.
(Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”)

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

CONQUISTANDO AS BENÇÃOS
Em Josué 1:3, O SENHOR disse a Josué: “Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como EU prometi a Moisés”. DEUS não está dizendo a Israel que todo lugar em que eles caminhassem ou andassem seria deles. ELE já havia delimitado o perímetro da herança. ELE estava dizendo simbolicamente: “Todo lugar em que vocês quiserem conquistar, eu os darei a vocês”.
Assim, DEUS estava dando ou eles estavam tomando? Sim! E apenas para provar isso, lembre-se de que a geração anterior, sob a liderança de Moisés, teve medo e não pode “carregar suas armas e lutar” e DEUS não a deu a eles.
Não pense nem por um instante que é diferente hoje. Essas coisas aconteceram a Israel como tipo ou sombra para nós. Nós também devemos tomar “as armas com as quais lutamos” (2Co 10:4) e conquistar. Isso é intercessão, isto é poder em nós. Isto é fazer valer as bençãos de DEUS em nossas vidas.
(Dutch Sheets, em “ORAÇÃO INTERCESSÓRIA – COMO DEUS PODE USAR SEUS INTERCESSORES PARA MOVER CÉU E TERRA)

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

ALÉM DA IMAGINAÇÃO

Aqueles que viram Jesus – realmente o viram – reconheceram que havia algo diferente. Com o seu toque os cegos pedintes enxergaram. Com o seu comando as pernas aleijadas andaram. Com o seu abraço as vidas vazias encheram-se de planos.
Ele alimentou milhares com um cesto. Ele acalmou uma tempestade com uma ordem. Ele ressuscitou os mortos com uma declaração. Ele mudou vidas com um pedido. Ele redirecionou a história do mundo com uma vida, viveu em um país, nasceu em uma manjedoura, e morreu em um monte…
Deus fez o que nós não ousaríamos sonhar. Ele fez o que nós não poderíamos imaginar. Ele tornou-se homem para que pudéssemos confiar nele. Ele tornou-se sacrifício para que pudéssemos conhecê-lo. E ele venceu a morte para que pudéssemos segui-lo.
Isso desafia a lógica. Isso é uma insanidade divina. Uma incredibilidade santa.
Somente um Criador além dos muros da lógica poderia oferecer tal presente de amor.
É esse Deus que servimos, o DEUS de toda criação, um Deus desejoso que ousemos sonhar muito além da imaginação, porque Ele é capaz de realizar cada sonho que Ele sonha em nós.
(Max Lucado, em “O APLAUSO DO CÉU”)

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

SOLTE AS RÉDEAS
“Então lho trouxeram; e quando ele viu a Jesus, o espírito imediatamente o convulsionou; e o endemoninhado, caindo por terra, revolvia-se espumando. E perguntou Jesus ao pai dele: Há quanto tempo sucede-lhe isto? Respondeu ele: Desde a infância; e muitas vezes o tem lançado no fogo, e na água, para o destruir; mas se podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos. Ao que lhe disse Jesus: Se podes crer; tudo é possível ao que crê.” Mc 9:20-23
O único lugar que conheço nas Escrituras onde Jesus fez esse tipo de declaração é nessa passagem. O pai olhou para o filho e depois voltando-se para JESUS disse:
- SENHOR, se pode ajudar…
- Se pode? Olhe, sou especialista nesse tipo de coisa. Para você é impossível, mas para DEUS isso é nada – disse JESUS.
A resposta do pai é digna de elogios. Quando compreendeu que devia confiar inteiramente e não mais afligir-se, clamou: “Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé!”
Tenho certeza de que alguns dos leitores estão enfrentando algum tipo de problema incrível, que ninguém poderia imaginar. Chegaram ao fim absoluto. Não há nada a fazer – zero.
O que DEUS está dizendo agora? “Tudo é possível para aquele que se preocupa”? Não. “Tudo é possível para aquele que tenta resolver”? Também não. “TUDO É POSSÍVEL PARA AQUELE QUE CRÊ”. A história de Marcos 9 revela, naturalmente, que JESUS salva a vida do menino, livrando-o do espírito maligno e curando-o. Jesus queria, sim, curar aquele menino, portanto, isso se realizou quando o pai do garoto pediu a Jesus que o fizesse.
A obra que DEUS quer realizar vai acontecer quando a pressão da impossibilidade pesar sobre os seus ombros. Aprenda um segredo familiar: DEUS se especializa em coisas que julgamos TOTALMENTE IMPOSSÍVEIS. Mas, por ser um cavalheiro, ELE não as arranca das suas mãos se você insistir em mantê-las. “O SENHOR espera para ter misericórdia de vós”, diz Isaías. “E se detém para se compadecer de vós”. Is 30:18
Seja qual for o teu problema impossível, SOLTE AS RÉDEAS! Peça a DEUS, deixe com ELE, com fé absoluta, deixe que ELE tome o controle. Se for para o teu bem, ELE fará o impossível acontecer.
Tudo é possível ao que crê em JESUS.
(Charles Swindoll, em “PERSEVERANÇA”)

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O ÚNICO DIGNO DE CONFIANÇA

As pessoas em geral acreditam que podem conquistar aquilo que tanto almejam e, tomando uma atitude otimista, vão à luta. Nessa caminhada podem encontrar muitos obstáculos, e para superá-los é importante ouvir palavras de encorajamento proferidas pelos amigos.
A Bíblia conta a história de Naamã, comandante do exército do rei da Síria. Ele era um homem íntegro, mas infelizmente estava com lepra, uma situação desagradável para ele e para sua família. Sua história de vida mudou quando uma estrangeira, do povo de Israel, lhe sugeriu que fosse até Eliseu, o profeta, pois este poderia lhe ajudar naquela enfermidade.
O problema de Naamã o levou a buscar a Deus. Mesmo que essa fosse a sua última chance, confiou que seria possível a cura de sua enfermidade. Por orientação do profeta Eliseu, foi banhar-se sete vezes nas águas do rio Jordão, e então Naamã foi curado por Deus.
A cura de Naamã fez com que ele passasse a confiar no Senhor. Se antes ele foi motivado pela possibilidade da cura, agora ele tinha visto concretamente a bênção de Deus na sua vida. Sua reação de confiança foi tal que afirmou nunca mais adorar outros deuses, a não ser o Senhor Deus de Israel. Conforme o texto 2Rs 5:15, ele expressa a sua confiança afirmando “agora eu sei que no mundo inteiro não existe nenhum deus, a não ser o Deus de Israel”.
Deus tem feito muitas coisas em nossa vida. Em Jesus temos a promessa do perdão para termos a vida eterna. Nele temos a oportunidade de confiar no Salvador verdadeiro e viver a esperança não somente para esta vida como também para a eternidade.
Em nossa caminhada rumo à realização de nossos sonhos e solução de nossos problemas, façamos como Naamã – busquemos Deus, o Deus que se mostrou em nós por meio de Jesus, o Único merecedor de nossa confiança. Façamos isso munidos de fé, esperança e gratidão. Ele nos atenderá da melhor forma possível!
Oremos: Querido Deus, também tenho motivos para confiar cada vez mais em Ti. Perdoa-me quando me esqueço das muitas bênçãos derramadas sobre mim. Entrego nas tuas mãos a minha vida, meus planos e projetos, para que tu os concretizes a Teu modo e no Teu tempo. Em nome de Jesus. Amém.
(PORTAL HORA LUTERANA)

domingo, 27 de outubro de 2013

MILAGRES QUE ASSOMBRAM

“Mas JESUS, sem acudir tais palavras, disse ao chefe da sinagoga: Não temas, crê somente”.

 Mc 5:36
Veja a sensibilidade de JESUS ao problema de JAIRO. Ninguém precisou dizer a ELE o que acontecera; ELE estava tão próximo quando deram a notícia a Jairo que, sem dar ouvidos ao que falavam, disse-lhe – “NÃO TEMAS, CRÊ SOMENTE”.
JESUS procupou-se com a fé de Jairo e procurou protegê-la da mesma forma que se preocupa com nossa fé! ELE não permitiu que a fé de Jairo se desvanecesse com as más notícias, mas, o reanimou.
JESUS, entretanto, imediatamente respondeu dizendo; “crê somente!” Lembre-se – nada é impossível quando você coloca sua fé em JESUS. Mesmo depois de ouvir o diagnóstico que declarava a criança morta, JESUS pediu a Jairo que cresse.
Você também deve se lembrar que, em qualquer situação, como Jairo, JESUS está preocupado com a sua fé, ELE te protegerá até que alcance o milagre. NÃO TEMAS, APENAS CREIA!
Que cena deve ter acontecido naquele momento! Jairo travava uma batalha com suas emoções. Ele que tinha tanta confiança que JESUS o ajudaria! Mas, agora, sua filha estava morta.
Penso que JESUS demorou a atender à filha de Jairo com um propósito em mente: tornar DEUS grande aos olhos de Jairo. Ele que havia suplicado a JESUS desesperadamente. Ver sua filha curada de uma enfermidade mortal já teria sido maravilhoso, agora, ver a vida voltando ao seu corpo morto, foi um MILAGRE TREMENDO.
Aquele pedaço de chão até sua casa foi, provavelmente, o mais longo percurso de toda a sua vida, tenho certeza que ele foi assaltado por um turbilhão de pensamentos, distúrbios e incertezas. Esperar o que, agora que sua menina estava morta?
O que Jairo não imaginava é que a cada passo dado, ele estava mais perto do seu milagre.
(Benny Hinn, em ”UM RELATO SURPREENDENTE DO TRIUNFO SOBRE O MEDO”)  


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

INTIMIDADE COM DEUS

Moisés não ganhou todas as discussões com DEUS, digno de nota é que ele não conseguiu persuadir DEUS deixá-lo a entrar na terra prometida (embora este pedido também lhe tenha sido concedido muitos anos mais tarde, no monte da Transfiguração). Mas seu exemplo, como de Abraão, prova que DEUS quer discussões e “brigas”, e muitas vezes “cede”, especialmente quando o que se discute é a misericórdia divina.
Oração não é superar a relutância de DEUS, Oração é agarrar-se à suprema disposição divina.
Se Abraão e Moisés fossem os únicos exemplos bíblicos de alguém que se põe em pé de igualdade com DEUS, eu hesitaria em ver nesses encontros algum tipo de modelo de oração. Eles aparecem, contudo, como os dois primeiros representantes de um estilo que se repete por toda a Bíblia. Será que exatamente esse traço explica por que DEUS os escolheu para tarefas tão importantes?
Por que DEUS recorreria a um estilo de relacionamento com os seres humanos que se parece com uma negociação? Será que DEUS exige esse exercício como parte de nosso regime de treinamento espiritual? Ou será que ELE, se é que posso usar esta linguagem, conta com nossas explosões, que funcionariam como uma janela sobre o mundo ou como um alarme que dispara solicitando uma intervenção? Afinal, foi o grito dos israelitas que levou DEUS a chamar Moisés.
Embora tendo feito muitas coisas erradas, Jacó tornou-se o nome de uma tribo e de uma nação, bem como de todos nós que lutamos com DEUS. Somos todos filhos de Israel, sugere Paulo, todos nós que lutamos com DEUS e nos agarramos à ELE no escuro, que O perseguimos e declaramos: “Não te deixarei ir” Gn 33:10. A nós pertencem a bênção, o direito à primogenitura, o Reino.
(Philip Yancey, em “ORAÇÃO, ELA FAZ ALGUMA DIFERENÇA?”)

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

GRAÇA E GLÓRIA
“Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; 3 refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.” Sl 23:2-3
Alguns de nós não deixamos de correr, quase nunca! Sempre preocupados, ansiosos, apressados. Quando ficamos reféns dos nossos medos e muito presos aos nossos próprios planos, O SENHOR, nosso Pastor, nos faz desacelerar e repousar.
Nosso Pastor sabe que precisamos de descanso, nutrição, e refrigério, nos ajuda e, se permitimos que ELE nos conduza, ELE nos faz encontrar “pastos verdejantes” e “águas tranquilas”.
Ele então nos guia nas veredas da Sua justiça e santidade, uma vez que estamos descansados e refrigerados. Não é interessante que a ordem de Deus para nossas vidas é sempre graça e depois glória?!
Está tudo confuso e o cansaço já te abate? Deixe o PAI conduzir teus passos!
(PORTAL ILUMINALMA)

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

NÓS TEMOS YAHWEH
Amigos podem confortar você na tempestade, mas, você precisa de um DEUS que possa acalmar a tempestade. Familiares podem segurar-lhe a mão em seu leito de morte, mas você precisa de um YAHWEH que venceu a sepultura. Filósofos podem debater o significado da vida, mas, você precisa de um SENHOR que declare o sentido da vida.
Você precisa de um YAHWEH.
Você não tem que carregar a carga de um deus inferior…um deus sobre uma estante, um deus numa caixa, ou um deus numa garrafa. Não, você precisa de um DEUS que possa colocar 100 bilhões de estrelas em uma galáxia e 100 bilhões de galáxias no universo. Você precisa de um DEUS que possa moldar dois punhados de carne em 75 a 100 milhões de células nervosas, cada uma com 10.000 conexões com outras células nervosas, pôr isto em um crânio e chamá-lo de cérebro.
E você precisa de um DEUS que, enquanto você está dormindo, possa vir na quietude da noite e tocar você com a ternura de uma nevada em abril.
Você precisa de um YAHWEH.
E, de acordo com Davi, você tem um. ELE é o teu pastor.
“Guia-me mansamente a águas tranqüilas”, declara Davi. E caso percamos o ponto, ele repete a frase no versículo seguinte: “Guia-me pelas veredas da justiça.”.
“Guia-me”. DEUS não está atrás gritando, “Vai!”. ELE está adiante convidando, “VENHA!”
ELE nos guia. ELE nos diz o que precisamos saber, QUANDO precisamos sabê-lo, como diz um escritor do Novo Testamento: “Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno” Hb 4:16.
A ajuda de DEUS é oportuna. ELE interpõe-se entre você e a necessidade. E na hora certa, dá-lhe a passagem. DEUS fará a coisa certa na hora certa. Dê sua total atenção ao que DEUS está fazendo agora, e não se preocupe com o que poderá ou não acontecer amanhã.
Afinal, você tem um YAHWEH.
(Max Lucado, em “ALIVIANDO A BAGAGEM”)

terça-feira, 22 de outubro de 2013

ABRA OS MARES!
“Então disse o SENHOR a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.” Êxodo 14:15
Fugindo do exército do faraó, o povo hebreu se depara com um obstáculo humanamente impossível de ser vencido: o Mar Vermelho Diante da queixa do povo, apresentada pelo líder Moisés, a solução proposta por Jeová foi a seguintes: “O Senhor disse a Moisés – Por que você está me pedindo ajuda? Diga o povo que marche.” (Êxodo 14:15).
A sinceridade e a simplicidade de alguns textos bíblicos chegam a ser desconcertantes. A Bíblia quer nos ensinar a onipotência e a soberania do nosso Criador. Muitas vezes, ao invés de elaborar textos lógicos ou teológicos, a Bíblia nos apresenta ocorrências históricas. São situações que têm início, meio e fim: início complicado, meio inusitado, fim espetacular.
Ainda hoje, o mundo nos ensina que o mar é para ser navegado. Quando, entretanto, temos a coragem de dar atenção às realidades espirituais propostas pela Bíblia, vivenciamos as “absurdas” soluções concretizadas pela fé em Deus. As soluções do Senhor não são propriedade de Moisés ou da antiguidade. Elas estão disponíveis para nós cristãos hoje, diante dos “mares” individuais que, à nossa frente, estiverem nos desafiando!
(DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO)

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

PROFUNDAMENTE AMADOS
“Temei ao Senhor, vós, seus santos, porque nada falta aos que o temem.” Sl 34:9
Temor do Senhor é um dos grandes temas do Velho Testamento. A frase é um tanto quanto difícil traduzir, especialmente à luz da mensagem repetida da Bíblia para “não temer”, e o lembrete de João que “o amor lança fora todo o temor”. Significa mais do que “ser reverente a Deus”.
Geralmente, “temor do Senhor” significa que lembramos a nossa posição na ordem das coisas. Sabemos que somos profundamente amados por nosso Santo Pai. Nós reconhecemos que somos maus e pecadores em comparação a Ele, e somos salvos pela graça e misericórdia de Deus. Reconhecemos que Sua majestade e santidade estão muito além de nós, e que somos insignificantes em comparação a Ele.
Nos achegamos a Deus sabendo da nossa necessidade Dele e que não temos direito de exigir-Lhe nada. A incrível realidade é que quando nos aproximamos de Deus com esta sensação de reverência e respeito profundo, Ele nos recebe de braços abertos e nos abençoa. (Veja Isaías 57:15).
(PORTAL ILUMINALMA)

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

ENTREGANDO OS PÃES
“Quantos pães vocês têm?, perguntou Jesus.Sete, responderam eles. Ele ordenou à multidão que se assentasse no chão. Depois de tomar os sete pães e dar graças, partiu-os e os entregou aos seus discípulos, para que os servissem à multidão; e eles o fizeram. Tinham também alguns peixes pequenos; Ele deu graças igualmente por eles e disse aos discípulos que os distribuíssem. O povo comeu até se fartar. E ajuntaram sete cestos cheios de pedaços que sobraram. Cerca de quatro mil homens estavam presentes.” Mc 8:5-10
Jesus já sabia quantos pães havia. Então, por que Ele perguntou? Será que foi para que os discípulos lembrassem, décadas depois, quão pouco eles tinham, mas que com Jesus, um pouco vira o bastante? Quantos discípulos havia? Doze. Quantos pães tinham Sete. Nem eles mesmos tinham o suficiente. Mas, eles possuíram a maior fonte de riqueza que existe – fé em Jesus.
Se tivermos ao menos isso, tudo que temos nas mãos Dele vira tesouro. E, já notou como Jesus deixou tudo nas mãos dos discípulos? Ele poderia ter contado como Ele criou o trigo, como, através de nutrientes, solo, fotossíntese, Ele dera vitalidade às plantas. Ele podia ter falado como tudo aquilo era Dele mesmo. Mas, Ele permitiu os discípulos “possuírem” os pães para que pudessem decidir confiar Nele. Quando Jesus coloca algo em nossas mãos, Ele realmente deixa conosco. Podemos decidir o que fazer. Mas, se virarmos para Jesus e O deixarmos pegar naquilo que de fato sempre foi e sempre será Dele, não há como prever o que pode acontecer. Mas, uma coisa podemos ter certeza - tudo que Jesus toca começa a ter um destino eterno. Confie em Jesus e confie seus pães a Ele.
(PORTAL HERMENÊUTICA)

domingo, 13 de outubro de 2013

MILAGRES QUE ASSOMBRAM

“Mas JESUS, sem acudir tais palavras, disse ao chefe da sinagoga: Não temas, crê somente” Mc 5:36
Veja a sensibilidade de JESUS ao problema de JAIRO. Ninguém precisou dizer a ELE o que acontecera; ELE estava tão próximo quando deram a notícia a Jairo que, sem dar ouvidos ao que falavam, disse-lhe – “NÃO TEMAS, CRÊ SOMENTE”.
JESUS procupou-se com a fé de Jairo e procurou protegê-la da mesma forma que se preocupa com nossa fé! ELE não permitiu que a fé de Jairo se desvanecesse com as más notícias, mas, o reanimou.
JESUS, entretanto, imediatamente respondeu dizendo; “crê somente!” Lembre-se – nada é impossível quando você coloca sua fé em JESUS. Mesmo depois de ouvir o diagnóstico que declarava a criança morta, JESUS pediu a Jairo que cresse.
Você também deve se lembrar que, em qualquer situação, como Jairo, JESUS está preocupado com a sua fé, ELE te protegerá até que alcance o milagre. NÃO TEMAS, APENAS CREIA!
Que cena deve ter acontecido naquele momento! Jairo travava uma batalha com suas emoções. Ele que tinha tanta confiança que JESUS o ajudaria! Mas, agora, sua filha estava morta.
Penso que JESUS demorou a atender à filha de Jairo com um propósito em mente: tornar DEUS grande aos olhos de Jairo. Ele que havia suplicado a JESUS desesperadamente. Ver sua filha curada de uma enfermidade mortal já teria sido maravilhoso, agora, ver a vida voltando ao seu corpo morto, foi um MILAGRE TREMENDO.
Aquele pedaço de chão até sua casa foi, provavelmente, o mais longo percurso de toda a sua vida, tenho certeza que ele foi assaltado por um turbilhão de pensamentos, distúrbios e incertezas. Esperar o que, agora que sua menina estava morta?
O que Jairo não imaginava é que a cada passo dado, ele estava mais perto do seu milagre.
(Benny Hinn, em ”UM RELATO SURPREENDENTE DO TRIUNFO SOBRE O MEDO”)

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

SERENIDADE E SOBRIEDADE

A VIDA NA TERRA É UM TESTE.
Alguns testes parecem esmagadores, enquanto outros você nem percebe. Mas todos têm implicações eternas.
O bom de tudo é que DEUS quer que passemos, então ELE jamais permitirá que você enfrente testes maiores que a graça que ELE lhe concede para lidar com eles. A Bíblia diz: “….mas DEUS cumpre a SUA promessa e não deixará que vocês sofram tentações maiores que suas forças.” 1Co 10:13.
Toda vez que você passa em um teste, DEUS faz planos para recompensá-lo. Tiago diz: “ Felizes são aqueles que perseveram quando são testados.” Tg 1:12
A ansiedade é um dos males mais perniciosos, quando vivemos ansiosos agimos por conta própria, viramos as costas para os caminhos do Pai, não conseguimos esperar pelo tempo de Deus, não conseguimos esperar pelo fim da provação, não conseguimos esperar pela chegada da benção, não conseguimos descansar e confiar. A ansiedade azeda nossa fé e faz corroer nossa intimidade com o Senhor. A ansiedade faz com que os testes sejam muito mais árduos do que são de fato.
Neste momento, ore a Deus pedindo para que ele te cure de toda ansiedade. Rejeite, em nome de Jesus, toda ansiedade que tem feito de você um marionete do inimigo. Resolva viver uma vida dentro dos propósitos do Pai, para que isso aconteça uma das lições a aprender é “esperar” com sobriedade e serenidade. Declare como Davi, o homem segundo o coração de Deus: “Eu esperarei continuamente e Te louvarei cada vez mais.” Salmo 71:14.
(Rick Warren, em “UMA VIDA COM PROPÓSITOS”)

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

PACIÊNCIA E GRATIDÃO

Uma das grandes lições que Deus quer que aprendamos na vida é enfrentar cada circunstância com a melhor disposição possível, EXTRAINDO O MELHOR DE CADA FASE pelas quais passamos.
Essa boa disposição se traduz em: PACIÊNCIA, GRATIDÃO E ORAÇÃO. Paciência para esperar com espírito grato a resposta de Deus às suas orações.
Quando a vida te deixar sem ação, ore. Quando ficares sem opção, ore. Quando não tiver para onde correr, ore!
OLHE PARA JESUS E ORE.
Repito, pois isso é de suma importância – olhe para JESUS e ore!!!
Não fique repetindo preces, converse com ELE, fale como falamos com pessoas íntimas. Não há alguém mais íntimo seu que ELE, pode crer…..aliás, creia mesmo!!!!
Creia que olhando para JESUS, clamando a JESUS, pedindo a JESUS, dependendo apenas de JESUS, você está invocando para a sua vida o MAIOR PODER que existe. Você está chamando sobre você a MAIOR FORÇA que existe. Você está acionando a MAIS PODEROSA ENERGIA do cosmos.
Não há nome mais poderoso que esse – JESUS. Não há outro que te escute, te entenda, te ajude e TE AME com tanta profundeza. Não há outro que te orienta com total presteza, nem que se comova com teus percalços com maior misericórdia.
JESUS não tem mistérios, não há necessidade de rituais para se chegar a ELE, há sim necessidade de sinceridade e fé, muito mais sinceridade que fé, Ele mesmo disse: “Se tivésseis fé como um grão de mostarda…” Lc 17:6.
Abra o peito, derrame suas dores, angústias, medos, necessidades, nos pés DELE, lave a alma diante DELE e ganhará uma grande paz. Depois disso, tenha uma boa disposição – paciência com gratidão. Não murmure, não reclame, não se agite. Seja mais forte que suas emoções, isso é com você, é a sua parte no negócio. ELE está fazendo a DELE, basta crer!
A JESUS, SOMENTE A ELE, TODA GLÓRIA!
(Neuma Fernandes)

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

ALTAR ENCHARCADO

I Reis 18.22-40
O profeta Elias era como qualquer um de nós, mas era homem de oração e de grande fé. Ele sabia que o Senhor é O Deus que vela sobre a Sua Palavra para cumpri-la, e Deus de respostas para aqueles que O buscam em oração. Um Deus pronto a se mostrar Presente e Forte para com aqueles que Nele esperam, e que Nele colocam a sua confiança no dia mal.
Uma vez que daquela feita a sua oração seria pedindo fogo, Elias mandou que por três vezes jogassem água no altar: Pessoas que crêem não facilitam as coisas para Deus, pois Ele não precisa de uma “mãozinha”. Dificuldades são águas poderosas no altar.
Ás vezes é o próprio Senhor que, na Sua soberana vontade, joga água no nosso altar, permitindo que as coisas se compliquem em nossas vidas, como Ele permitiu nas vidas de José, Davi e Jó, dentre outros.
Às vezes o Senhor joga muita água no altar onde queremos ver fogo, mas é para que vejamos um milagre maior, que redundará em grande experiência com Ele.
Há um cântico que diz: “Não olho as circunstâncias, não, não, não…”. Temos que desprezar a dificuldade. Quando vemos alguma coisa encharcada achamos que ela nunca pegará fogo. Mas, nenhuma água apagará o fogo de Deus e nenhuma circunstância reterá a manifestação do Seu poder.
Portanto, “Farte-se de afronta”, diz a Palavra. Como Elias, mandemos fazer um rego para que ele se encha da água jogada em nossos altares.Então, oremos como Elias orou, sabendo que o fogo lamberá toda aquela água: “Responde Senhor, responde, para que se saiba que o Senhor é Deus, que a Tua Palavra é a verdade e que eu sou teu servo”.
O fogo da resposta vai descer sobre o altar encharcado, e vamos dizer estupefatos:
SÓ O SENHOR É DEUS.
(Pr. Sinval)

terça-feira, 8 de outubro de 2013

GANHAR VIDA
“Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa, este a salvará.” Lucas 9:24
Conta-se a história de um evangelista indiano, Sadhu Sundar Singh, que salvou sua vida arriscando-a. Ele estava atravessando as montanhas do Himalaia com um guia Tibetano. Tentando prosseguir viagem numa nevasca, eles tropeçaram no corpo de um homem quase morto. O guia Tibetano se recusou a parar e continuou sozinho. O evangelista Sadhu, movido pela compaixão, começou a carregar o homem caído. Através do esforço extra seu corpo se aqueceu bem como o corpo do homem inconsciente. Antes de chegar ao seu destino, eles encontraram o guia – morto pelo frio.
Quem quiser salvar sua vida vai perdê-la. Quem perder sua vida por causa de Jesus a salvará. O desafio para a maioria de nós não será arriscar a vida num ato heroico, mas, nos momentos mais comuns, onde entregamos nossas vidas àquele que transforma qualquer ato num momento eterno.
Você pode visitar um hospital público ou entregar um copo de água e lanche a um morador de rua? Você é capaz de amar numa ação concreta alguém que lhe injustiçou? Você pode pedir desculpas? Você pode perdoar? Isso é perder a vida pela causa de Jesus e ganhar de volta uma vida que nunca mais perderá.
(Portal Hermenêutica)

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

GRANDES OBRAS

Ao olharmos para o céu, ou para um canyon, ou para o mar….Se olharmos para qualquer grande obra das mãos do SENHOR, ficamos maravilhados, extasiados, nos apercebemos da grandeza do poder de DEUS e um sentimento de reverência nos toma a alma.
A perfeição, a maravilha, a beleza das SUAS obras nos calam e nos põem de joelhos diante da SUA infinita e genial capacidade criadora.
Esse mesmo senso do poder de DEUS deve nos invadir quando estamos diante dos canyons de problemas, dos mares de dores e dos céus de impossibilidades. Devemos encará-los e enxergar neles apenas possibilidades para o agir transformador e criador do PAI.
Neste momento em que você está assombrado, combalido, amedrontado, desanimado e desesperançado, ouça o que ELE nos diz: ‘Aquietai-vos e sabei que EU SOU DEUS” Sou o DEUS dos desfiladeiros, dos oceanos, das estrelas…Sou o DEUS das soluções, dos milagres e das boas novas.
AQUIETEMO-NOS, então, e aguardemos pelo socorro, pela resposta e pela saída que ELE está construindo com o mesmo esmero e perfeição com que faz todas as SUAS grandes obras.
Neuma Fernandes

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

SEMEANDO
Orar é pedir.
Orar é louvar.
Orar é profetizar.
Orar é agradecer.
Orar é esperar em DEUS.
Orar é ter certeza que a espera não é em vão, que a esperança não trará frustração, que a confiança em Deus não nos acarretará desonra, nem vergonha.
Orar é saber que a realidade visível é apenas uma parte de uma realidade maior, muito maior.
Orar é bombardear as muralhas do inferno.
Orar é colocar DEUS na guerra.
Orar é abrir caminho para DEUS agir.
Orar é semear a terra das áridas circunstâncias para o desabrochar dos milagres.
Orar é uma posição – posição de vitória e de conquista, para a glória do PAI.
(Neuma Fernandes)

quinta-feira, 19 de setembro de 2013


DESTEMIDOS

"Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono de Deus, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos ajuda sempre que precisarmos Dele” Hb 4:16
Reconheço que você pode sentir-se fraco na fé, que seus passos podem ficar cambaleantes, mas é agradável a Deus que nos cheguemos com confiança diante Dele para receber aquilo que Ele tem para nós.
Não podemos chegar ao trono da graça com a atitude: “Pois bem, Deus, estou aqui. Talvez possas me ajudar…” Não, você precisa chegar diante de Deus com coragem, e com confiança, no seu coração, de que Deus é poderoso para ajuda-lo, e bem disposto a isso. Deus possui tudo quanto você porventura necessitar, poisEle é socorro bem presente nas tribulações. Repita isso devagar e atenciosamente no seu íntimo para que sua fé se fortaleça.
Creia que você pode, e deve, ter fé DESTEMIDA nesse Deus forte, soberano e amoroso, AMOROSO, nunca esqueça desse atributo do Senhor, isso te dará ousadia para se manter confiante e seguro na vontade e no propósito de Deus te ajudar.
O versículo 17 do terceiro capítulo do livro de Daniel, diz: “Nosso Deus pode livrar-nos”. Isso foi pronunciado em uma hora extremamente dramática. É uma declaração tremenda de confiança no pode de Deus. Declararam e viveram o que acreditavam – isso é fé. E essa fé, assim como foi para aqueles homens cuja história o livro de Daniel relata, não nos desaponta, não nos decepciona.
(Kenneth Hagin Jr, em “A SUA FÉ LEVARÁ VOCÊ À VITÓRIA”)

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

SIMPLES ASSIM

Em certa noite, quando eu estava profundamente deprimido, confundido por obstáculos, desnorteado pela escuridão que me cercava, impossibilitado até mesmo de continuar pregando, descobri uma verdade surpreendente: DEUS é atraído para a fraqueza. ELE não pode resistir aos que humilde e honestamente admitem precisar DELE desesperadamente. De fato, nossa fraqueza abre espaço para o SEU poder.
Se clamarmos ao SENHOR, ELE prometeu em SUA Palavra responder e derramar o SEU ESPÍRITO SANTO entre nós. Se nós não clamarmos ao SENHOR, ELE não promete absolutamente nada. É simples assim, objetivo assim. Não importa o que eu pregue ou o que declaremos crer racionalmente, o futuro dependerá de nossas orações.
(Jim Cymbala, em “VENTO RENOVADO FOGO RENOVADO”)